Projeto mantido por:

Para que serve o Google Search Console?

By Henrique Aren Troitinho Thursday, 12 de March de 2020   Read time: 10 minutes

Antigo Webmaster Tools, o Google Search Console é um importante aliado do chamado marketing de busca. Falaremos sobre esse assunto no artigo “O que é marketing de busca?”, que será publicado posteriormente. Você pode lê-lo depois, para compreender um pouco mais.

Fundamental para o bom desempenho do seu e-commerce, o Google Search Console muitas vezes é deixado de lado pelos profissionais de marketing. Por isso, veremos agora para que serve essa ferramenta, quais são os princípios básicos dela e quais métricas você deve acompanhar e privilegiar.

O que é o Google Search Console?

Em linhas gerais, é a ferramenta do Google que, através de um conjunto de estratégias, permite que o seu e-commerce seja encontrado pelo usuário.

Como o Google Search Console funciona?

Através de relatórios e funções específicas, ele ajuda a melhorar o desempenho da loja. Entre as oportunidades de melhora que identifica, estão:

  • Melhora a velocidade da navegação;
  • Identifica de onde o público está chegando;
  • Quais itens do código do site precisam ser melhorados;
  • Como potencializar o tráfego através de backlinks;
  • Otimiza o SEO para garantir um melhor posicionamento orgânico e pago.

Como instalar e configurar o Google Search Console?

Sua instalação é bem similar à do Google Analytics. Aliás, você pode saber detalhes dessa outra ferramenta importantíssima no artigo “O que é e para que serve o Google Analytics”, que também será publicado posteriormente.

Voltando… É preciso adicionar uma propriedade, inserir o código no e-commerce e logo verificar a conta. Pronto! Agora você já pode aproveitar todas as funções da ferramenta.

Por onde começar?

Nossa recomendação é fazer o processo de higienização da loja. E só depois instalar o Google Search Console. Essa higienização consiste em:

  • Identificar porque determinadas páginas não estão sendo indexadas pelo Google. Ou seja, porque não estão aparecendo nos resultados de busca;
  • Verificar se o site foi hackeado ou se tem algum vírus;
  • Avaliar se é preciso melhorar as palavras-chave utilizadas nos conteúdos;
  • Verificar tudo o que pode ser feito para melhorar o posicionamento dos conteúdos.

Quais métricas observar no Google Search Console?

As mais básicas já trazem conclusões significativas:

Impressões: quantas vezes determinada URL apareceu nos resultados de busca. Poucas impressões pode ser sinal de que o Google não considera o seu conteúdo tão relevante assim.

Cliques: informa o número de vezes que os usuários clicaram no seu link, o que não deixa de ser um sinal de que o título e a breve descrição do texto estão muito bons ou precisam ser melhorados.

CTR (Click Through Rate): a porcentagem de impressões que gera um clique.

Posição: média de posicionamento das URLs de sua loja.

Como ter melhores resultados?

Seja constante. Regra número um, imprescindível. Todos os dias a ferramenta mostra o que pode ser melhorado, portanto, acompanhá-la frequentemente é o segredo para ter melhores resultados – e em pouco tempo.

Vale lembrar que uma boa estratégia de SEO traz resultados em médio prazo, então, o quanto antes começar e quanto mais otimizar o conteúdo, mais rápido estará entre as primeiras posições.

Se quiser saber mais sobre SEO, leia o artigo “O que é SEO?”.

É importante também saber interpretar os relatórios que o Google Search Console oferece. Eles são muitos e sempre aparecem novas opções. Cada uma delas pode fazer muito pelo seu e-commerce. Confira algumas:

Visão geral: onde você pode ver uma análise macro do seu e-commerce com as principais observações que os mecanismos do Google avaliam. Funciona como um atalho para tudo aquilo que o buscador encontrou de mais relevante. Caso queira ver profundamente cada uma dessas análises, é só consultar as opções que se seguem:

  • Relatório de Desempenho: mostra quantos usuários clicaram em determinada URL e que posição ela ocupa;
  • Inspeção de URL: muito utilizada para saber muitas informações sobre determinada página da loja;
  • Relatório de Cobertura: mostra quais páginas já foram indexadas pelo Google e quais possuem potencial para isso;
  • Relatório de Sitemaps: mostra quais sitemaps foram enviados, suas estatísticas e possíveis problemas. Sitemaps são arquivos nos quais você pode listar todas as páginas do seu site para informar ao Google como ele foi organizado;
  • Usabilidade em Dispositivos Móveis: relatório que mostra a usabilidade de cada página nos dispositivos móveis que já está indexada;
  • AMP: apresenta quais AMPs (Accelerated Mobile Pages) têm maior probabilidade de serem indexadas. Tem também a função Teste de AMP para você comprovar a validade desse tipo de página;
  • Ações manuais: embora o Google use algoritmos, também usa mecanismos manuais em situações específicas e neste relatório você tem uma vista completa de todas as ações manuais do site. Na central de ajuda do Google você descobre como corrigir cada uma destas ações;
  • Problemas de Segurança: sabe aquelas falhas que colocam em jogo a segurança do seu e-commerce? Elas são identificadas neste relatório;
  • Links: permite saber quais sites e textos estão derivando tráfego e quais links internos precisam ser melhorados;
  • Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis: recurso muito importante já que mostra quais de suas páginas são compatíveis com dispositivos móveis;
  • Mudança de Endereço: você deve usar para informar ao Google que seu domínio agora deve redirecionar para outro domínio;
  • Segmentação Internacional: permite rastrear cada idioma em que seu site esteja disponível;
  • Vincular ao Google Analytics: você pode importar dados do Google Search Console para o Google Analytics;
  • Preferências de E-mail: você pode habilitar para receber e-mails ou notificações sobre as propriedades que cadastrou;
  • Recursos Bloqueados: saiba quais seções os robôs do Google não conseguiram rastrear;
  • Queries: mostra os termos de busca que levaram usuários à sua loja;
  • Search Type: mostra que tipo de formato o usuário usou para chegar ao seu site: vídeos, textos, imagens etc;
  • Google Meu Negócio: neste espaço você pode informar o endereço físico e telefone da sua empresa para que fique visível nos resultados de busca;
  • Google Merchant Center: nele você pode configurar os seus produtos e eles serão facilmente encontrados durante uma pesquisa.

Há muito mais opções e por isso vale a pena explorar o Google Search Console para aprender na prática e de acordo com as necessidades do seu dia a dia.

Vale lembrar que também é uma ferramenta gratuita e que não substitui o Google Analytics, elas apenas se complementam.

Quando o assunto é Google Search Console, o segredo está em não ter preguiça de interpretar os dados, assim como em empenhar-se para fazer as adaptações que cada relatório recomenda. É dessa forma que você vai melhorar a experiência do usuário, alavancar suas metas de conversão e potenciar a relevância de sua marca.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!

Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica? Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Leave your comment

0 comments

Comments

Your email address will not be published.

Commenting as Anonymous

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER