Entrevista com Gabriel Borges, diretor da Likestore

segunda-feira, 26 de setembro de 2011 2 comentários
Seções: , ,

O E-commerce Brasil conversou com Gabriel Borges, cofundador e diretor da Likestore. Nesta entrevista exclusiva, ele explica em detalhes o que é a Likestore, qual o seu foco e por que você deveria experimentar a ferramenta.

Quando e como surgiu a Likestore?

[GB] O conceito é muito novo, o social commerce é muito novo. Nós começamos a acompanhar isso no início de 2010 e vimos o social commerce crescer no mercado americano, e imaginamos que fosse interessante trazer para o Brasil.

A nossa aproximação com o conceito vem desde o ano passado, mas foi neste ano que, batendo um papo sobre as oportunidades, decidimos iniciar o projeto. Em termos de ”timeline”, no final de maio lançamos a primeira experiência de vendas no Facebook, com a Show de Ingresso, vendendo ingressos para o show do Jack Johnson.

Como foi essa primeira experiência?

[GB] Ela superou nossas expectativas.Vendemos uma centena de ingressos, o que foi um volume grande. A nossa venda abriu duas semanas depois da bilheteria do show, era algo bem local, vendemos até mais do que o esperado.

Com a venda dos ingressos, ganhamos visibilidade para a marca. Foi nesse momento em que o site foi pro ar, e cadastramos as pessoas interessadas em ter uma f-store.

Com essa primeira experiência, cadastramos, em aproximadamente um mês, mais de duas mil pessoas interessadas em ter uma plataforma de negócios no Facebook. No final de julho, elas foram convidadas a abrir uma LikeStore. Inicialmente, apenas aquelas que haviam sido convidadas conseguiram abrir a loja. Dessa forma, tivemos tempo para nos ajustar às necessidades do projeto na fase inicial. Além disso, os primeiros participantes podiam convidar outras pessoas. Foi muito interessante e tivemos um ótimo retorno.

Isso foi até o início de agosto. Quase metade dos cadastros iniciais participaram da segunda fase.

Como foi a experiência da segunda fase?

[GB] Foi bem interessante, porque tivemos vários aprendizados.Nós conseguimos montar um app para a criação da loja, que é muito simples.Tivemos poucos chamados no suporte, e isso foi muito legal.
Algo interessante que observamos também foi que, apesar de termos focado em pequenas e médias empresas para fazer o escopo da Likestore, percebemos que grandes empresas também ficaram interessadas, empresas que já tinham e-commerce.

O nosso modelo de negócios é atrativo pra iniciar um negócio online, porque não tem nenhum custo inicial. Não há nenhuma mensalidade ou algo assim. A Likestore recebe 2% das vendas que o lojista realizar.

Fora isso, o lojista tem o custo do meio de pagamento. O MoIP desenvolveu uma solução para ser usada dentro do Facebook e tem uma taxa própria, que é de 5,9% – ela é maior porque eles precisam remunerar toda a cadeia de pagamentos. Então, fora esses 7,9% (MoIP + Likestore) em cima das vendas, o lojista não tem outro risco. Ele não perde nada experimentando a Likestore.

Para iniciar o negócio estudamos muito, pesquisamos muito em mercados mais maduros, como nos EUA. Notamos que toda a experiência de s-commerce deve acontecer DENTRO da rede social, sem redirecionar o usuário para outros lugares. Quando ocorre a mudança de local, o índice de rejeição e de desistência aumentam. A parceria com a MoIP resolveu essa questão, com a solução de pagamentos própria para o Facebook.

No meio do caminho, vimos algo que não era tão óbvio para nós, que era a dificuldade de se começar uma operação de e-commerce no Brasil, isso era uma tarefa muito difícil. Foi curioso observar que, apesar de estarmos mirando no s-commerce especificamente, atingimos também empresários que queriam experimentar o e-commerce, mas por conta dessas dificuldades, ainda não tinham experimentado , com o auxílio da Likestore conseguiram ter uma experiência de venda online.

Temos o exemplo de um lojista de Belo Horizonte que vende camisetas, O Ovo. Ele tinha essa vontade de vender online, já tinha uma loja física na cidade, mas sempre achou muito complicado ir para o online. Então ele aproveitou a oportunidade da Likestore e rapidamente colocou a loja no ar e já está vendendo.

No dia 9 de agosto, lançamos a Likestore  em definitivo, e qualquer interessado pôde entrar em abrir uma loja. Atualmente, temos mais de 1.500 lojas operando.

Quais são as principais vantagens e funcionalidades da Likestore?

[GB] Além da questão de ser gratuita, o que já é um grande atrativo, há o fato de que nós desenvolvemos uma solução completa para que o lojista tenha um e-commerce completo.

Outro ponto é a questão logística, que não é nosso foco, mas que também conseguimos resolver e simplificar. Ao cadastrar uma loja, o lojista indica qual é a agência de correios mais próxima para despachar os produtos. Quando um produto é cadastrado, ele coloca o peso aproximado. Isso permite oferecer uma simulação do frete na hora da compra e já cobrar o valor do produto e do frete. E o lojista recebe a notificação de venda com todos esses detalhes.

As principais funcionalidades da Likestore não estão no e-commerce, mas no social commerce – dinâmica em que o consumidor é exposto às ofertas do e-commercer através da indicação/curadoria dos seus amigos nas rede sociais. Usamos a força da recomendação nas redes sociais pra divulgar as ofertas disponíveis na loja.

Quando o usuário compra um carrinho na Likestore, tem a opção de compartilhar aquela compra com seus amigos, em seu mural. Assim, o produto fica visível a outras pessoas e, quando alguém clicar nele vai ser redirecionado direto para aquela loja, na página do produto. Para a loja, isso é mais uma possibilidade e venda. Mesmo que aquele usuário não compre o produto, há o estímulo do like, ou seja: o amigo do usuário/cliente vai curtir a publicação e publicar no mural dele e divulgar para outras pessoas. É um círculo que pode ser bem ampliado, junto com as possibilidades de venda do lojista.

Como a Likestore lida com a concorrência?

[GB] Concorrentes existem, mas a maioria deles, mais cedo ou mais tarde, acaba direcionando o usuário para fora do Facebook, principalmente na hora do pagamento. Então, mesmo que o cliente faça o carrinho no Facebook, ele vai pra fora do ambiente em alguns momentos. Com isso, o bounce rate da loja é bem mais alto.

Desenvolvemos a primeira interface da Likestore para o Facebook. Mas isso não significa que a gente vai ficar preso ali. A nossa estrutura permite que levemos a Likestore para outras redes sociais, como Orkut e Google+, e até mesmo Linkedin e Twitter, obviamente respeitando a dinâmica de cada rede.O desenvolvimento de interfaces para outras redes é uma evolução natural.)

Por que desenvolver primeiro para o Facebook?

[GB] Escolhemos o Facebook, porque ele é mais amigável para esse tipo de iniciativa. O s-commerce está em ascensão no Brasil, e  estudos e cases nos EUA, um mercado mais maduro nessa área, mostram que o retorno de investimento de social commerce no Facebook era sempre maior.

Como é feita a medição de dados como taxa de conversão e abandono de carrinhos dentro da Likestore?

[GB] O lojista, quando monta uma loja na Likestore tem a opção de cadastrar o Google Analytics para acompanhar algumas métricas, como intensidade de uso etc. Agora estamos desenvolvendo uma área nova no admin que é justamente voltada para métricas. Os lojistas poderão ver onde exatamente os usuários estão deixando a loja dele, quando que acontece a desistência da venda. Dessa forma, ele poderá acompanhar mais detalhes.

Para onde caminha a LikeStore? Quais são os planos futuros?

[GB] Temos duas frentes diferentes: a primeira é levar a Likestore para outras redes sociais, a segunda é fazermos cada vez mais uso da dinâmica do social commerce dentro da Likestore efetivamente. Ou seja, dois produtos disponibilizados em uma mesma loja, ou em lojas diferentes, e os “meus amigos” poderão me ajudar a escolher. Então, eu faço um “duelo” entre os dois produtos. Publico esse conteúdo no meu mural e meus amigos podem me ajudar a escolher, deixando comentários, falando o porquê de comprar o produto A e não o B.

Esse tipo de recurso é onde estamos focando nossos esforços, a curto e médio prazo, para poder deixar a dinâmica do social commercer dentro da Likestore cada vez melhor.

A missão da Likestore é investir e evoluir cada vez mais nessa dinâmica do s-commerce.

2 comentários Comente também

  1. Genial! Com certeza é uma iniciativa inovadora e, mais que isso, segura. O facebook cresce a cada dia no Brasil. O fato de um comprador colocar no seu mural o endereço de uma loja dentro do próprio FB, com certeza aumenta e muito o número de visualizações e possíveis compras.
    Grande iniciativa!

Dê Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Este projeto é mantido pelas empresas:

Oferecido e patrocinado por: